top of page
Buscar
  • Rafael Carvalho

Os principais termos utilizados no universo da gestão financeira e contábil.





Bem-vindo ao Glossário de Termos de Gestão Financeira e Contábil da Adsum Group!

Neste abrangente artigo, estamos empenhados em apresentar e explicar os conceitos mais relevantes utilizados no mundo corporativo, oferecendo uma compreensão aprofundada do complexo universo da gestão financeira.


Como uma empresa especializada nessa área, nossa missão é fornecer as ferramentas e conhecimentos necessários para impulsionar o crescimento e o sucesso dos negócios.


Esteja preparado para aprimorar suas habilidades financeiras e contábeis, capacitando-se para enfrentar os desafios do mundo empresarial com confiança e eficiência.


1. Ativo: Todos os recursos econômicos que uma empresa possui, sejam eles tangíveis ou intangíveis. O ativo representa os bens, direitos e valores a receber da empresa, refletindo o potencial para geração de benefícios econômicos futuros. Os ativos tangíveis são aqueles que podem ser tocados ou fisicamente identificados, como estoques, máquinas, equipamentos e imóveis. Já os ativos intangíveis são aqueles sem existência física, como marcas, patentes, software e goodwill.


2. Passivo: Todas as obrigações financeiras de uma empresa, sejam elas de curto ou longo prazo. O passivo inclui as dívidas, empréstimos, contas a pagar, obrigações trabalhistas e fiscais, entre outros compromissos financeiros que a empresa deve honrar. É importante ressaltar que o passivo é uma fonte de financiamento para a empresa, representando os recursos de terceiros que foram utilizados para financiar suas atividades.


3. Patrimônio Líquido: É a diferença entre o ativo e o passivo de uma empresa. Representa o valor líquido dos recursos financeiros da empresa que pertencem aos seus proprietários. O patrimônio líquido é composto pelo capital social, reservas de lucros, prejuízos acumulados e outras variações que afetam o valor dos recursos próprios da empresa.


4. Receita: O valor total de vendas de produtos ou serviços durante um determinado período. A receita é a principal fonte de recursos da empresa, representando o faturamento gerado por suas atividades operacionais. Pode ser obtida pela venda de produtos, prestação de serviços, aluguéis, juros, entre outros.


5. Despesa: Todos os gastos incorridos pela empresa para realizar suas atividades operacionais ou administrativas. As despesas incluem custos com matéria-prima, mão de obra, aluguel, energia, despesas com vendas, entre outros itens que contribuem para o funcionamento da empresa.


6. Lucro: Diferença positiva entre as receitas e as despesas de uma empresa. O lucro é uma métrica fundamental para avaliar a saúde financeira do negócio e sua capacidade de gerar valor para os proprietários. Representa o ganho obtido após a dedução de todas as despesas das receitas.


7. Prejuízo: Diferença negativa entre as receitas e as despesas de uma empresa. O prejuízo ocorre quando as despesas superam as receitas, resultando em um resultado líquido negativo. O prejuízo é um sinal de alerta para a gestão, indicando que ajustes podem ser necessários para reverter a situação financeira.


8. EBITDA: Sigla em inglês para "Earnings Before Interest, Taxes, Depreciation and Amortization", que significa lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização. O EBITDA é um indicador utilizado para medir a performance operacional de uma empresa, isolando o impacto de fatores não operacionais, como custos financeiros e depreciação, permitindo uma análise mais precisa da geração de caixa operacional.


9. ROI: Sigla em inglês para "Return on Investment", que significa retorno sobre o investimento. O ROI é uma métrica utilizada para calcular o retorno financeiro de um investimento. É expresso em forma de porcentagem, representando o ganho ou perda obtido em relação ao valor investido.


10. Margem de lucro: Mede a rentabilidade das vendas de uma empresa. É calculada dividindo-se o lucro líquido pelo valor das vendas. A margem de lucro indica a porcentagem de lucro obtida sobre o faturamento total, fornecendo insights sobre a eficiência e a competitividade da empresa no mercado.


11. Fluxo de caixa: Mede o movimento de entrada e saída de dinheiro da empresa em um determinado período de tempo. O fluxo de caixa é fundamental para a gestão financeira, permitindo o acompanhamento das movimentações financeiras e a projeção de disponibilidade de recursos em diferentes períodos.


12. Demonstrativo de resultados: Apresenta as receitas, despesas, lucros e prejuízos de uma empresa em um determinado período de tempo. Também conhecido como "DRE" (Demonstração do Resultado do Exercício), o demonstrativo de resultados é uma ferramenta essencial para avaliar o desempenho financeiro e a lucratividade da empresa.


13. Balanço patrimonial: Apresenta o ativo, passivo e o patrimônio líquido de uma empresa em um determinado período de tempo. O balanço patrimonial é uma das demonstrações contábeis mais importantes, fornecendo uma visão detalhada da posição financeira da empresa em um determinado momento.


14. Orçamento: Planejamento financeiro que determina os gastos e receitas de uma empresa em um determinado período de tempo. O orçamento é uma ferramenta de controle e gestão financeira, permitindo o alinhamento das atividades da empresa com seus objetivos estratégicos e a alocação eficiente de recursos.


15. Contas a receber: Valor que a empresa tem a receber de seus clientes por vendas realizadas a prazo. As contas a receber representam as vendas que foram realizadas, mas cujo pagamento ainda não foi efetuado pelos clientes. Gerenciar esse item é fundamental para manter o fluxo de caixa adequado e evitar a inadimplência.


16. Contas a pagar: Valor que a empresa deve pagar a fornecedores, funcionários ou outros credores. As contas a pagar incluem os compromissos financeiros da empresa, como fornecedores a pagar, salários e benefícios dos funcionários, impostos e outras obrigações.


17. Capital de giro: Quantidade de recursos financeiros que a empresa precisa para financiar suas operações diárias. O capital de giro é importante para garantir que a empresa tenha recursos suficientes para cobrir suas despesas operacionais, como pagamento de fornecedores e folha de pagamento, sem comprometer a continuidade das operações.


18. Análise de viabilidade: Estudo que avalia a rentabilidade e risco de um investimento ou projeto. A análise de viabilidade é realizada antes de iniciar um novo projeto ou investimento, buscando identificar se os benefícios esperados superam os custos e riscos envolvidos.


19. Payback: Período de tempo necessário para recuperar o investimento inicial em um projeto. O payback é uma métrica utilizada para avaliar o tempo que levará para recuperar o capital investido em um determinado projeto, considerando os fluxos de caixa gerados.


20. Depreciação: Valor contábil da perda de valor de um ativo ao longo do tempo. A depreciação é uma despesa não caixa que reconhece a redução do valor de um ativo fixo devido ao desgaste, obsolescência ou outros fatores. Ela é considerada na apuração do resultado contábil e tem impacto nos impostos e no cálculo do EBITDA.


21. Amortização: Redução gradual de uma dívida por meio de pagamentos periódicos. A amortização é um processo contábil em que o valor de uma dívida é reduzido ao longo do tempo através de pagamentos regulares, de modo que a dívida seja totalmente quitada ao final do período estabelecido.


22. Juros: Custo do dinheiro emprestado. Os juros representam a remuneração que uma pessoa ou empresa recebe pelo empréstimo de dinheiro a terceiros. Para quem pega empréstimo, os juros são o custo do capital utilizado, enquanto para quem empresta, representam a compensação pelo risco e pela oportunidade de investimento.


23. Inflação: Aumento generalizado dos preços de bens e serviços em uma economia. A inflação é um fenômeno econômico que provoca a perda do poder de compra da moeda ao longo do tempo. Ela pode ser medida por índices de preços, como o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) ou o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), no Brasil.


24. Orçamento de capital: Processo de planejamento e alocação de recursos para investimentos de longo prazo. O orçamento de capital envolve a análise e seleção de projetos de investimento que podem agregar valor à empresa, visando alocar recursos de forma eficiente e maximizar o retorno para os acionistas.


25. Risco: Probabilidade de perda financeira em um investimento. O risco está associado à incerteza dos resultados futuros de um investimento ou projeto. Investimentos com maior risco geralmente oferecem maior potencial de retorno, mas também têm maior possibilidade de perda.


26. Liquidez: Capacidade de uma empresa em transformar ativos em dinheiro sem perda significativa de valor. A liquidez é importante para a saúde financeira da empresa, garantindo que ela tenha recursos disponíveis para cumprir suas obrigações no curto prazo, como pagamento de dívidas e fornecedores.


27. Endividamento: Relação entre os recursos próprios e os recursos de terceiros de uma empresa. O endividamento é uma medida da alavancagem financeira da empresa, mostrando a proporção de recursos próprios (patrimônio líquido) em relação aos recursos de terceiros (passivo). Um nível adequado de endividamento pode ajudar a empresa a financiar seus projetos e crescer, mas um endividamento excessivo pode aumentar o risco financeiro.


28. Margem de contribuição: Valor que sobra das vendas após descontar os custos variáveis. A margem de contribuição é um indicador importante para a análise de custos e precificação de produtos e serviços. Ela representa o quanto cada unidade vendida contribui para cobrir os custos e despesas fixas da empresa e gerar lucro.


29. Break-even: Ponto de equilíbrio onde as receitas são iguais às despesas. O break-even indica o volume de vendas necessário para que a empresa não tenha nem lucro nem prejuízo, ou seja, onde as receitas obtidas são suficientes para cobrir todos os custos e despesas.


30. ROI social: Métrica que mede o retorno financeiro de investimentos em projetos sociais ou ambientais. O ROI social é uma forma de avaliar o impacto econômico dos investimentos em projetos que têm benefícios além dos aspectos puramente financeiros, como melhorias na qualidade de vida das comunidades ou preservação do meio ambiente.


31. Ativo circulante: Ativos que podem ser convertidos em dinheiro em um curto prazo, como estoques e contas a receber. O ativo circulante é fundamental para garantir a liquidez da empresa e sua capacidade de honrar seus compromissos de curto prazo.


32. Ativo não circulante: Ativos que não podem ser convertidos em dinheiro em um curto prazo, como imóveis e equipamentos. O ativo não circulante representa os bens de longo prazo da empresa, que têm uma vida útil maior e não são destinados a serem vendidos ou consumidos no curto prazo.


33. Dividendos: Lucros distribuídos aos acionistas de uma empresa. Os dividendos são uma forma de remunerar os acionistas pelos resultados positivos da empresa e representam uma parte dos lucros que é distribuída aos proprietários.


34. Gestão de riscos: Processo de identificação, avaliação e controle dos riscos financeiros de uma empresa. A gestão de riscos busca minimizar a exposição da empresa a eventos incertos que possam impactar negativamente suas finanças, buscando maximizar as oportunidades e evitar potenciais perdas.


35. Participação de mercado: Porcentagem de vendas de uma empresa em relação às vendas totais de um determinado mercado. A participação de mercado é uma métrica importante para avaliar a posição competitiva da empresa e sua relevância em relação aos concorrentes.


36. Ponto de equilíbrio: Valor de vendas onde a empresa não tem lucro nem prejuízo. O ponto de equilíbrio indica o volume de vendas necessário para cobrir todos os custos e despesas da empresa, sem gerar lucro ou prejuízo.


37. Custo fixo: Despesas que não variam com a quantidade produzida ou vendida. Os custos fixos são aqueles que permanecem constantes, independentemente do volume de produção ou vendas da empresa, como aluguel, salários dos funcionários administrativos, entre outros.


38. Custo variável: Despesas que variam proporcionalmente à quantidade produzida ou vendida. Os custos variáveis estão diretamente relacionados ao volume de produção ou vendas, como matéria-prima, comissões de vendas, entre outros.


39. Custo de oportunidade: Valor do benefício perdido ao tomar uma decisão financeira. O custo de oportunidade é uma consideração importante na tomada de decisões, pois representa o que se sacrifica ao optar por uma alternativa em detrimento de outra.


40. Gestão de estoques: Processo de controle e organização do estoque de uma empresa. A gestão de estoques é fundamental para garantir que a empresa tenha os produtos disponíveis para atender à demanda dos clientes, ao mesmo tempo em que evita o acúmulo excessivo de itens em estoque, reduzindo os custos de armazenagem e obsolescência.


41. Fluxo de caixa descontado: Método utilizado para avaliar o valor presente de um investimento futuro. O fluxo de caixa descontado leva em consideração o valor do dinheiro no tempo, aplicando uma taxa de desconto aos fluxos de caixa futuros do investimento para calcular seu valor presente.


42. Valor presente líquido (VPL): Método utilizado para avaliar a rentabilidade de um investimento. O VPL é uma técnica de análise de investimentos que considera os fluxos de caixa futuros descontados a uma taxa adequada para calcular o valor presente líquido do projeto, auxiliando na decisão de investir ou não em determinado empreendimento.


43. Taxa de retorno: Rentabilidade de um investimento, geralmente expressa em porcentagem. A taxa de retorno mede o ganho obtido sobre o capital investido em um projeto ou ativo, permitindo comparar a atratividade de diferentes investimentos.


44. Dívida bruta: Valor total das dívidas de uma empresa. A dívida bruta representa o montante total de recursos que a empresa deve a terceiros, incluindo empréstimos, financiamentos, debêntures e outros passivos financeiros.


45. Operações financeiras: Transações relacionadas a empréstimos, financiamentos ou investimentos. As operações financeiras englobam todas as transações que envolvem recursos financeiros da empresa, como captação de recursos no mercado, concessão de crédito, empréstimos e aplicações financeiras.


46. Índice de liquidez: Medida que avalia a capacidade de pagamento de uma empresa. O índice de liquidez é utilizado para medir a capacidade da empresa de honrar seus compromissos de curto prazo, comparando os ativos circulantes com as obrigações de curto prazo.


47. Valor justo: Valor que uma empresa está disposta a pagar ou a receber por um ativo ou passivo. O valor justo representa o preço que seria obtido em uma transação entre partes interessadas e informadas, considerando condições de mercado.


48. Desconto de fluxo de caixa: Método de avaliação de um investimento ou empresa com base no fluxo de caixa futuro esperado. O desconto de fluxo de caixa é uma técnica utilizada para estimar o valor presente de um ativo ou negócio, considerando os fluxos de caixa futuros projetados e aplicando uma taxa de desconto adequada.


49. Balancete: Relatório intermediário com saldos das contas em um determinado período. O balancete é uma demonstração contábil que apresenta os saldos das contas patrimoniais e de resultado em uma data específica, geralmente em intervalos mensais ou trimestrais, auxiliando na verificação e controle dos lançamentos contábeis.


50. Conciliação Bancária: Comparação entre os registros contábeis e as movimentações bancárias. A conciliação bancária é um processo importante para garantir a exatidão das informações financeiras da empresa, comparando as transações registradas nos extratos bancários com os lançamentos contábeis realizados.


51. Notas Explicativas: Complemento às demonstrações financeiras com informações relevantes. As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras e fornecem detalhes e informações adicionais que complementam as demonstrações contábeis, permitindo uma melhor compreensão dos números e das políticas contábeis adotadas pela empresa.


52. Depósito a Prazo Fixo (DPF): Investimento com prazo e taxa de juros pré-determinados. O Depósito a Prazo Fixo é uma aplicação financeira de renda fixa oferecida por instituições financeiras, onde o investidor deposita um valor por um período de tempo específico e recebe uma taxa de juros acordada previamente.


53. Contabilidade Ambiental: Ramo que registra as informações relacionadas ao impacto ambiental da empresa. A contabilidade ambiental é uma área da contabilidade que busca registrar, mensurar e informar os custos e impactos ambientais das atividades da empresa, visando promover a sustentabilidade e o cumprimento de obrigações legais relacionadas ao meio ambiente.


54. IRPJ (Imposto de Renda Pessoa Jurídica): O Imposto de Renda Pessoa Jurídica é um tributo federal que incide sobre o lucro das empresas. É um dos principais impostos pagos pelas empresas e tem uma alíquota que varia de acordo com o tipo de regime tributário em que a empresa está enquadrada. No Brasil, existem três regimes tributários principais para as empresas: Simples Nacional, Lucro Presumido e Lucro Real. Cada um deles possui alíquotas diferentes de IRPJ.


55. CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido): A CSLL é uma contribuição também devida pelas pessoas jurídicas, calculada com base no lucro líquido apurado antes da dedução de impostos e contribuições. A alíquota da CSLL também varia de acordo com o regime tributário da empresa. Os recursos arrecadados com a CSLL são destinados ao financiamento da seguridade social, que inclui a Previdência Social, a assistência social e a saúde pública.


56. PIS (Programa de Integração Social) e COFINS (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social): O PIS e a COFINS são contribuições federais incidentes sobre o faturamento das empresas. O PIS é destinado ao pagamento do seguro-desemprego e ao abono salarial, enquanto a COFINS é destinada ao financiamento da seguridade social. As alíquotas dessas contribuições podem variar conforme o regime tributário e a atividade econômica da empresa.


57. ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços): O ICMS é um imposto estadual que incide sobre a circulação de mercadorias e a prestação de serviços de transporte e comunicação. Cada estado brasileiro possui sua legislação específica para o ICMS, com alíquotas que podem variar de acordo com o produto ou serviço comercializado.


58. ISS (Imposto sobre Serviços): O ISS é um imposto municipal que incide sobre a prestação de serviços em geral. Cada município possui sua lista de serviços sujeitos à tributação e suas alíquotas específicas.


59. IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados): O IPI é um imposto federal incidente sobre produtos industrializados, sejam nacionais ou importados. A alíquota do IPI pode variar de acordo com a classificação do produto na Tabela de Incidência do Imposto sobre Produtos Industrializados (TIPI).


60. INSS (Instituto Nacional do Seguro Social): O INSS é um regime de contribuição previdenciária obrigatória que incide sobre os salários e remunerações pagos pelas empresas a seus funcionários e colaboradores. O valor recolhido é destinado ao financiamento da Previdência Social, garantindo os benefícios previdenciários aos trabalhadores.


Conclusão:


Neste abrangente glossário, abordamos uma diversidade de termos essenciais para a gestão financeira e contábil nas empresas. Esperamos sinceramente que esta lista tenha sido valiosa para ampliar seu vocabulário e aprofundar sua compreensão nessa área tão vital.


Na Adsum Group, nosso compromisso é ajudá-lo a alcançar seus objetivos financeiros e proporcionar uma gestão sólida e eficiente para a sua empresa. Temos a plena convicção de que o conhecimento é um poderoso aliado para o sucesso empresarial, e nossa equipe especializada está sempre pronta para auxiliá-lo em qualquer questão que surja.


Seja para esclarecer dúvidas, discutir estratégias ou implementar práticas financeiras mais eficazes, estamos aqui para apoiá-lo em sua jornada rumo ao sucesso financeiro. Conte conosco para continuar crescendo e alcançando resultados extraordinários em seu negócio. Juntos, podemos construir um futuro financeiro mais sólido e próspero.

19 visualizações0 comentário
bottom of page