Buscar
  • Diego Ruiz

Lições tiradas de 2020 e preparativos para 2021

Dezembro e janeiro são sempre os meses para montagem do balanço anual de 2020, por consequência, o planejamento e as estimativas para o próximo período. A pandemia fez de 2020 um ano para ficar na história, devido às milhares de vidas perdidas e ao sofrimento provocado pela doença e pelas dificuldades econômicas em todo o mundo. Mas este ano também será lembrado pela enorme capacidade de superação.


Na ADSUM foi assim. No começo da pandemia, tivemos uma queda de 80% no número de clientes. Em vez de desistir, persistimos. Dobramos a aposta em fazer uma empresa de consultoria diferenciada, obstinada pela excelência na entrega, soluções customizadas para nossos clientes e paixão pelo que se faz. Aumentamos o portfólio de serviços, trazendo novos sócios e suas expertises para a empresa, e o resultado veio. Vamos fechar o com aumento de 30% no número de clientes na comparação com que tínhamos em 2019. Foi fácil? Nem um pouco. Mas valeu muito a pena.


O que a gente aprendeu com 2020 e qual nossa aposta para 2021? A resposta para as duas perguntas é a mesma: resiliência, agilidade e adaptação. Ou seja, capacidade de resistir, celeridade para mudar e muita vontade de fazer diferente. Foi o que a gente viu pelo mundo este ano e o que vamos precisar seguir daqui por diante.


Apesar das recentes boas notícias sobre a vacina contra o corona vírus, ainda viveremos sob os efeitos da Covid-19 por um bom tempo, com impactos na saúde, na economia, nos modos de produção e consumo.


No Brasil, além do convívio com o vírus, teremos uma ressaca financeira da pandemia. Duas são as previsões unânimes para 2021: 1) recuperação econômica com crescimento de até 4% do PIB; e 2) aumento da inflação, resultado da alta do dólar e do adiamento de alguns reajustes, como o dos planos de saúde.


O que o mercado ainda tem dúvidas: qual será o tamanho do efeito do fim do auxílio emergencial no consumo, no desemprego e na economia; e como se dará a retomada dos mercados no exterior, com impacto no investimento estrangeiro no nosso país. Como apontou a The Economist na sua edição anual de tendências para o próximo ano, 2021 será "particularmente imprevisível".


O que é cada vez mais importante


Diante de tantas incertezas e variáveis, será cada vez mais importante ao dono de negócio:


  • Manter as contas arrumadas da sua casa. Uma gestão financeira eficiente garante mais fôlego à sua empresa para enfrentar turbulências.

  • Estar atento a novas oportunidades de negócios, parcerias e novos produtos. A melhor solução pode estar realmente no vizinho e você nem se deu conta.

  • Dedicar atenção especial à força de trabalho. Mais do que sempre, é hora de reter e atrair talentos, mantendo as pessoas motivadas, treinadas e engajadas. Afinal, agilidade, adaptação e resiliência de um negócio só ocorrem porque há um time disposto a vestir a camisa e jogar junto.

  • Estar atento às tendências mundiais. Uma dica: procure saber sobre ESG (Environment, Social and Governance), o tema que dominou o noticiário econômico em 2020. O cuidado e a atenção das empresas com o meio ambiente, o social e a governança corporativa não é uma moda. Veio para ficar e já caiu nas graças do mercado financeiro. Em algum momento, essas regras vão impactar seu negócio. Se não forem os investidores, serão os consumidores a cobrar por uma postura da sua empresa mais ativa nesta área.

Neste momento de tanta transformação, experimente contar com uma consultoria externa. Especialistas em diferentes áreas podem te ajudar a encontrar, de forma ágil, novas soluções para velhos problemas e a identificar outras oportunidades de crescimento.


Não espere 2021 para mudar. O ano novo já começou.


17 visualizações0 comentário