Buscar
  • Diego Ruiz

Dados podem gerar lucratividade

Até 2020, segundo a McKinsey&Company, a previsão é que hajam mais de 40 trilhões de gigabytes de dados no mundo. Diariamente, são gerados no planeta mais de 2,2 milhões de terabytes de novos dados. Algumas dezenas de kbytes suportam este artigo. Nos últimos anos, a tecnologia abriu imensas oportunidades de acesso e de formas de produção de dados, otimizando nossa rotina. Mas também nos colocou diante de um desafio: saber o que realmente é importante, o que faz diferença nessa imensidão de dados.  

Cada empresa, por meio do seu ERP (Enterprise Resource Planning), que representa uma série de atividades gerenciadas por um software ou por pessoas, também produz diariamente uma montanha de dados, que costumam virar relatórios, tabelas, apresentações e afins. Pelo menos uma vez por mês, todo gestor financeiro ou presidente de empresa é obrigado a lidar com essa pilha de números. E o que fazer, qual número é mais relevante, que decisão tomar?

Hoje, softwares de gestão são ferramentas imprescindíveis, que ajudam a traduzir parte das informações geradas pelos ERPs e administrar qualquer negócio. Permitem ao executivo medir, a todo instante, a temperatura da sua empresa. Saber custos, gastos com tributos, margem de lucro, prazos de entrega, curva de vendas, dentre outros. Mas ter acesso aos dados, organizados e em tempo hábil, garante sucesso na gestão da sua empresa? Não. Não, necessariamente.

Sozinhos, gráficos e tabelas não são capazes de transformar seu negócio, nem melhorar seu resultado. São importantes? Sim. E muito. 

O fato é que por trás da tecnologia empregada para gerar os dados, é preciso explicar o porquê, dar sentido a tudo aquilo, o que muitas vezes exige habilidades específicas, como análise crítica e aptidão para propor soluções. Afinal, até a informação mais positiva - uma simples curva de venda de produtos - pode antever riscos, além de oportunidades na melhora dos custos de compra, por exemplo. Hoje, segundo o Sebrae, 40% das empresas não se antecipam aos fatos, mesmo sendo este um comportamento que distingue os empreendedores de sucesso.

Gerir de forma eficiente é saber interpretar essa avalanche de números, saber o que tem por trás e atuar de forma preventiva. Com auxílio de tabelas e gráficos, prever tendências de mercado, adiantar problemas e/ou deficiências, antever oportunidades e corrigir rumos. É transformar dados, efetivamente, em valor para o seu negócio. E você? Está efetivamente preparado para essa mudança? Por mais que você diga que não precisa entender toda essa transformação por conta do tamanho de sua empresa saiba que, eventualmente ou por definição de mercado, ela vai chegar até você.

3 visualizações0 comentário